<BODY>

terça-feira, março 17, 2009

Renascido do inferno

Vamos esclarecer um erro comum: não foi o Bispo de Recife e Olinda quem excomungou os responsáveis pelo tal aborto. “O código canônico prevê que a excomunhão deve ser aplicada automaticamente a uma série de delitos: esse é o caso da agressão física ao Papa e, é claro, do aborto” (Fonte: Superinteressante). Ou seja, se algo tem que ser questionado é a religião católica em si, não o Bispo. Ele estava apenas passando as ordens da gerência. Eu concordo com o Cardoso: “o Arcebispo está sendo fiel a tudo que acredita, e a tudo que a Igreja Católica prega. Todo mundo tem direito de discordar, mas não pode discordar E se dizer católico ao mesmo tempo”. E continua: “Isso é covardia. Coragem é admitir publicamente que o problema não é o homem, o problema são os PRINCÍPIOS defendidos pela Igreja Católica: esses sim desumanos, medievais, bárbaros, sem-sentido”. Agora o Vaticano, numa campanha de contenção de danos, vêm à público dizer que "não é bem assim", "não houve excomunhão", deixando o pobre do Bispo vendido. Pelo visto, então o inferno é que nem o Supremo Tribunal Federal: com jeitinho dá sempre pra arrumar um habeas-corpus.



Videos tu.tv
(Pra mim, religião é uma coisa, espiritualidade é outra. Já o George Carlin, um dos maiores stand-up comedians americanos, parece que era ateu mesmo. Este vídeo é hilário)




2 Comentários:

Blogger marcela disse...

Em primeiro lugar, apesar de o Brasil ser um país de maioria católica (em torno de 70% segundo o último censo), eu não conheço nenhum católico sequer que deixa de cometer qualquer ato por medo de ser excomungado. Quero dizer com isto que, por mais que o Brasil se diga de maioria católica, e em muitas comunidades menores, as pessoas vão na igreja no domingo, etc., etc., ninguém vive o catolicismo da maneira fervorosa e ativa com que ele foi vivido em tempos anteriores. Esta religião perdeu muito de sua influência, principalmente com as parcelas mais pobres da população.
Em segundo lugar, o caso em questão fala por si próprio. Quem, em sã consciência, vai apoiar que uma criança de 9 anos, após ato sexual violento e não consentido, dê prosseguimento a uma gestação que põe a vida da própria mãe em risco?

Já o comediante não deve ser um dos melhores por acaso. Já vi vários neste estilo, mas esse cara tem alguma coisa que os outros não têm (talvez seja mais carismático, mais autêntico).

2:02 PM  
Blogger FÁBIO GIL disse...

Porra, se eu tivesse que escolher entre um aborto e dar um pescotapa no Papa, ficava com a segunda opção sem titubear.

Gil - O excomungado

11:35 AM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial