<BODY>

domingo, junho 13, 2010

Uno duni tê

A Uno velha, de documentos vencidos, não transitava sem aquele anuário do CCRJ que a capa imita a Bíblia, estrategicamente posicionado em cima do painel, pra posar de evangélico ao passar em blitz – só pra vocês terem idéia do personagem que estava ao volante. No banco do carona, estava ele... Como que eu descrevo este outro gênio? Tinha mais um camarada enlatado no banco de trás além de mim, mas não importa. Voltávamos não sei de que bar, ou festa, ou da agência. Às vezes estas eram a mesma coisa. Lembro que era noite e que contornávamos a Lagoa. Saudades de contornar a Lagoa à noite. Sinal fechado. Largaríamos na segunda fila, como uma McLaren. Do nosso lado direito tinha um táxi. Na frente dele, um motociclista. Foi quando ele, o nosso amigo no carona, deu o último trago no seu cigarro. Acontecer, acontece, sempre dizia ele, se referindo à seus próprios folclores, mas era a freqüência que o irritava. E se foi proposital o mundo nunca vai saber mas fato é que, num peteleco perfeito, ele acertou a porra da guimba do cigarro, acesa, no único centímetro quadrado de pescoço desprotegido do motociclista, entre o capacete e a jaqueta de couro. Ronaldinho Gaúcho não faria aquilo. Foi de uma precisão pitanguyresca, meu povo. Só quem não gostou do lance foi o motociclista, que agora se virava em nossa direção. O autor daquela pintura não se fez de rogado: apontou discretamente para o taxista. No Rio é muito comum PM fazendo bico de taxista. E o taxista desta história tinha um belo bigode. “O quê!? Tá falando que fui eu!?”. Foi o tempo do sinal abrir. Gargalhadas nervosas. A este ponto não sabíamos se ele estava realmente nos seguindo ou se o passageiro do táxi estava indo para o mesmo lugar exato que a gente. Vira rua, sai rua, lá estava ele no retrovisor, por uns bons minutos, até finalmente mudar de direção. Pode ser paranóia nossa mas a corrida de táxi deve ter saído uns 4 reais mais caro para aquele passageiro.




2 Comentários:

Anonymous David disse...

Hahahaha essa "precisão pitanguyresca" tem duplo sentido ou é impressão minha?

9:39 AM  
Blogger Daniel Xavier disse...

Não, não, não tem nada a ver com o Rafael Pitanguy, não, se é isso que você quis dizer ;)

12:19 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial